banner-portal-transparencia 180x100

Grupo de Teatro

GRUPO DE TEATRO

 

Professora Coordenadora Janaína Kremer

 

O Grupo de Teatro da Fundarte foi criado em 1993. Durante os primeiros anos, sob coordenação do professor Gilberto Icle, trabalhou sob técnicas cômicas, enfatizando o clown. Depois explorou o caráter expressionista e intimista do dramaturgo Nelson Rodrigues. Em 2001, sob coordenação de Carlos Mödinger, experimentou o espaço da rua para montar Moliére e, a partir de 2002, deu ênfase à integração do teatro com as outras linguagens artísticas, especialmente a música, passando a ter como integrantes do grupo alunos de música. Em 2004 e 2005 o cômico e seus procedimentos foram o foco do trabalho, ainda sob a coordenação do professor Carlos Mödinger. De 2006 a 2008, Jezebel de Carli passou a coordenar o grupo, onde montou textos da dramaturgia brasileira e gaúcha e desenvolveu uma prática com ênfase no trabalho físico. Em 2009 e 2010 e 2011, a coordenação retornou ao professor Carlos Mödinger, o qual realizou intervenções e montagens com priorizando o jogo e a experimentação. Atualmente está sob a coordenação da professora e atriz Janaína Kramer.

        O Grupo de Teatro da Fundarte, no ano de 2015, realizou a performance individual com a aluna/atriz Tiffani Popper, intitulada Negra.

        Tiffani foi aluna desta instituição desde 2013, e participou do Grupo desde 2014.

       Partindo de questões importantes para a aluna e a professora, quais sejam: “quem eu sou?”, “o que me torna o que sou?”, “quem me torna o que sou?”, chegou-se ao tema trabalhado.

        A pesquisa se deu em quatro eixos fundamentais:

         - impulsos do corpo, suas tensões; o corpo sacrificado; o corpo amedrontado; o corpo abandonado; o corpo liberto.

         - pesquisa histórica sobre mulheres negras que romperam com padrões impostos pela sociedade.

         - pesquisa autobiográfica sobre a história de vida da aluna/atriz, seus antepassados e seus desejos futuros.

         - pesquisa musical.

 

Janaina Kremer da Motta: Atriz e professora de teatro. Mestre em Educação pelo PPGEDU/FACED/UFRGS, com a pesquisa na área de atuação teatral. Graduada no curso de Licenciatura em Teatro, na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul/UERGS. Iniciou sua formação no TEPA e fez cursos de aperfeiçoamento com Maria Helena Lopes, Maria Lucia Raymundo, Thomas Leabheart, Vladimir Granov, Gennadi Bogdanov, Jeremy James, Ricardo Pucceti, Ana Elvira Wuo, Georgete Fadel, entre outros. Participou, durante um ano, do Grupo de Prática Sobre o Tarbalho do Ator, coordenado por Tatiana Cardoso. Dentre os espetáculos teatrais nos quais atuou destacam-se Vladimir e Estragon, Tragikós, Ensaio, Álbum do desejo - todos sob a direção de Marco Fronchetti. No cinema atuou em filmes de Jorge Furtado - Saneamento Básico, o filme, Houve Uma Vez Dois Verões, O Sanduiche; de Beto Brant - Cão sem Dono; de Carlos Gerbase - Sal de Prata e Menos que Nada; de Ana Luiza Azevedo - Antes que o Mundo Acabe; de Gustavo Spolidoro - Ainda Orangotangos; de Otto Guerra - Woody & Stock (dublagem) e de Fabiano de Souza - Cinco Naipes e Telefone de Gelo. Recebeu os prêmios de melhor atriz de curta-metragem no Festival de Cinema Brasileiro de Miami pelo filme O Sanduiche, e o prêmio Assembléia Legislativa de melhor atriz pelo filme Cinco Naipes. Para a TV fez No Balanço, direção Mirela Kruel e Lá Longe, direção de Juliano Carpeggiani, ambos do projeto Histórias Curtas da RBS; Mulher de Fases, série para a HBO dirigida Por Ana Luiza Azevedo e Marcio Schoenardie e o especial para a TV Globo Homens de bem, dirigido por Jorge Furtado. Atualmente é professora de teatro na Fundação Municipal de Artes de Montenegro-FUNDARTE.