Grupo Cordas

Grupo Cordas

Coordenação e regência: Daniel Luiz Kich

 

 

 

         O Grupo Cordas originalmente é formado por alunos dos cursos de instrumentos de cordas oferecidos na Fundarte, como violino, viola, violoncelo e contrabaixo acústico. Anteriormente, esperava-se destes alunos fluência na leitura de partitura para poder participar do grupo e autonomia no manuseio do instrumento (preparar e afinar o instrumento, executar, saber corrigir afinação nos ensaios, etc.)

 

Tanto as estratégias quanto o repertório estão identificados com a metodologia Suzuki para aulas de instrumento em grupo. Nesta metodologia, os alunos aprendem de ouvido, praticam as músicas em casa e nas aulas individuais. Nas aulas em grupo as executam juntamente com os colegas, buscando a unidade e uniformidade na execução, focando afinação, ritmo, dinâmicas, região e distribuição do arco. Em outras palavras, o aluno é constantemente chamado a observar o que acontece musical e visualmente ao seu redor, onde o contato visual com quem conduz o grupo é muito abordado nas brincadeiras e nos ensaios de todas as músicas aprendidas. Todas as aulas foram ministradas com a porta aberta, sendo que os pais dos alunos eram sempre convidados a assistir seus filhos durante as aulas, aplaudir quando executávamos bem uma peça, participar esporadicamente de alguma brincadeira.

 

A PRESENÇA DOS PAIS NO GRUPO DE VIOLINOS

          Convidar os pais para estarem com as crianças nas aulas em grupo é uma extensão do trabalho que tenho realizado com meus alunos nas aulas individuais e em pequenos grupos. Na primeira aula de instrumento do ano, em março, os pais costumam trazer seus filhos para saber onde é a sala, conhecer a professora, etc. Aproveito este encontro para conversar com eles, conhecer a rotina da família, explicar detalhes sobre a estrutura escolar da Fundarte e expor-lhes a metodologia Suzuki, convidando-os a fazer parte do processo de aprendizado da criança no instrumento que leciono – violino.

A metodologia Suzuki é fundamentada no que seu idealizador, Shinichi Suzuki (1898-1998), denominou de Método da Língua Materna, onde a mãe ou o pai tem um papel crucial no desenvolvimento do aprendizado. Assim como uma criança aprende a falar o idioma de seus pais com o estímulo e insistência e repetição, no método Suzuki utiliza o mesmo canal de aprendizado, onde mãe/criança/professor formam o “tripé” que sustentará o desenvolvimento do aluno a médio e longo prazo, até mais ou menos a pré-adolescência, quando a criança deixa de ter acompanhamento semanal dos pais nas aulas, mas com o mesmo estímulo e algum monitoramento “standby” da prática diária em casa. Este familiar que acompanha as aulas deve ser a mesma pessoa todas as semanas, sendo aquele que faz anotações durante a aula e orienta a criança em casa a praticar a lição assim como foi combinado em aula.

 

Dia do Violino – 04/07/2015, Colégio Sinodal de São Leopoldo. Um sábado de aulas em grupo com concerto de encerramento, somente para alunos de violino.
Alunos da Fundarte: 8 participantes.

 

 

 

II Festival de Música de Teutônia – 19 a 23 de julho. Festival que contou com vários instrumentos, entre cordas, sopros, percussão, guitarra, canto coral.
Alunos da Fundarte: 5 participantes (violinos).

 

 

 

Sabadão Suzuki – 03/10/2015, Colégio Concórdia de São Leopoldo, organização da Escola de Música Tio Zequinha de Porto Alegre. Um sábado de aulas em grupo com concerto de encerramento, somente para alunos de violino.

Alunos da Fundarte: 9 participantes.

 

 

Participação no sarau na FUNDARTE de alunos – junho/2015;

 

 

 

Apresentação na abertura do encontro de diretores das escolas municipais de Montenegro – 23/09/2015: